terça-feira, 25 de setembro de 2018

Sintomas da Ansiedade:

Sensação de que algo ruim pode ou vai acontecer – Estado de Expectativa, apreensão, sensação de perigo, medos, insegurança, alerta ou hipervigilância, mente inquieta. Isto leva a:

·        Tensão Mental -  na forma de preocupações, antecipando os problemas, catastrofando (aumentando a dimensão dos problemas)

·        Tensão física: ombros e pescoço contraídos, gerando cefaleias tensionais, bruxismo, dores no corpo, nas costas.

·        Alterações do sono: Dificuldade de desligar a mente dos problemas e relaxar o corpo, gerando a insônia, despertares noturnos, pesadelos, mal dormir e acordar cansado, angustiado

·        Cansaço – com sensação de baixa de energia, lentidão física e mental

·        Dificuldade de concentração – com impacto no raciocínio e na produtividade nos estudos e/ou trabalho, desatenção

·        Afeta o Humor – com irritabilidade, impaciência, pavio curto, rispidez, pode agravar e evoluir para depressão. Neste caso vem o choro fácil, perda de prazer (desânimo), tristeza, pessimismo e baixa de energia.

·        Sintomas psicossomáticos – Digestivos: gastrite, náuseas (Enjoos), boca seca, bolo na garganta, aumento ou redução do apetite, refluxo, cólicas, diarreia. Cardiorrespiratórios: Taquicardia, palpitações, arritmia, picos de pressão alta(sem ser hipertenso), falta de ar, respiração presa (sufocamento), tonturas ou vertigens (confundidas com labirintite). Periféricos: mãos e/ou pés frios ou úmidos, sudorese excessiva, tremores, formigamento nas extremidades. Comportamento de roer unhas, sacudir a perna, mexer o cabelo, morder ou passar a unha na cutícula. 

    Fábio Pires
Postar um comentário